quarta-feira, novembro 09, 2005

ambivalência

"Todos os objectos concretos de amor, pelo contrário, são limitados, e por vezes, opressivos e frustrantes.
Antes, quanto mais importantes são para nós, tanto mais têm a possibilidade de nos desiludir.
Se uma coisa nos interessa pouco pode-nos fazer pouco mal.
Se, pelo contrário, é essencial para nós, mesmo uma falta de atenção fere-nos.
Daí a ambivalência.
Inevitavelmente, acabamos por nutrir sentimenstos agressivos pela pessoa que mais amamos.
A ambivalência é confusão, desordem."
francesco alberoni

18 comentários:

wind disse...

Incrível, é isso mesmo. beijos

Mendes Ferreira disse...

olá ....ambivalente....:) um bom dia. bjo.

Daniel Aladiah disse...

Querida Su
É bem verdade. Por isso, é importante que também aprendamos a amar sem a posse... mais difícil eu sei, temos necessidade do outro, eu sei, mas por que havemos só de gostar de quem precise de nós?...
Um beijo
Daniel

AS disse...

A excelência da fotografia é única!...

Na realidade quanto mais intenso é o sentimento por aquilo que amamos maior será desilusão... mas não ser´assim tudo na vida Su? Repara... quanto mais alta for a montanha, mais gozo há em chegar ao topo, quanto mais largo for o rio maior o prazer de o transpôr, quanto mais distante for o sonho, maior será a felicidade em comcretizá-lo...

acho que hoje te vou deixar tb una beijos marados

mfc disse...

Quanto mais próximo se está mais se exige. Quando tudo se dá, é difícil não se sentir ferido por uma pequena desatenção.

dulce disse...

Humano = ambivalente. O que é que se há-de fazer?
Beijocas (finalmente vou linkar-te; já não era sem tempo !!!)

Su disse...

wind...é isso q fazemos spre, não é?

mendes ferreira...sou...um olá

daniel...então ensina-me como...

frog....sempre optismista,merci

mfc...é isso mesmo, até o tom de voz, é suficiente

dulce....nada a declarar. sou. somos.

jocas maradas nada limitadas per tutti

Amaral disse...

A ambivalência não tem, necessariamente, que ser desordem ou confusão. Acho que é tudo uma questão de colocarmos os nossos melhores sentimentos sob condições preconcebidas. Não se pode amar uma pessoa com sentimentos agressivos. Amar de verdade implica confiança sem condição. Aquilo a que se chama amor incondicional. Amar sem pedir nada em troca não é fácil para o comum dos mortais. Porque vivemos em sociedades alicerçadas fora desses conceitos.

Armando S. Sousa disse...

A relação ódio/amor é a própria essência da existência.
Talvez algures no meio se encontre o equilíbrio.
Um abraço

Irís disse...

Até já...

Afrodite disse...

Su.... acredita! Para mim, vir aqui, deixa-me melhor do que quando tomo o obrigatório Xanax 5mg!

Venho sempre com tempo, para poder saborear, atirar 'aquela' gargalhada .... meditar, sonhar
(bem...... e gamar também, mas sempre gentilmente)

Mas hoje vim por outro motivo....
não sei que me deu ... fiz as pazes, melhor, dei o primeiro passo para fazer as pazes com a pindér...não, porra, com a invej... ai o caraças! com a titas, pronto.
Queres ir lá ver?
Como não é meu, mas da tinhosa aiaiaiaiai.... mas é dela, posso dizer: o texto é notável!
§(~_~)§ beijo da Afrodite
(uma carinha d'anjo num corpo espectacular, com tudo no sítio, muito dentro do prazo, sem aditivos nem silicones)

Nilson Barcelli disse...

É verdade, dado que associado a isso está a desilusão, que é tanto maior quanto é o sentimento.
Mas, para isso, é que nos colocaram alguns neurónios... cabecinha pensadora...
Beijinhos.

hfm disse...

"Todos os objectos concretos de amor, pelo contrário, são limitados, e por vezes, opressivos e frustrantes." Gostei de ler. Muito.

Maria do Céu Costa disse...

Este post relata as realidades das atitudes, nos seus opostos. Beijinhos.

Su disse...

amaral...gosto sempre do que escreves, me faz bem:)

ésse...mas onde está o equilibrio?

íris...até já:)

afrodite...q bom saber (apesar de tomá-lo, mas:));linda, gama à vontade (eu faço o mesmo ehehe) qto à outra...respira fundo, ehehe

nilson....neurónios, que bomm, o pior é q eles não ficam parados, é sempre a "abrir":))))

hfm ... tb gostei:)))

jocas maradas per tutti

Clitie disse...

O Sr Alberoni tem toda a razão! "sentimentos agressivos pela pessoa que mais amamos"... infelizmente.

Bjks

José disse...

Eu sofro desta doença!
Mas a idade ensina-nos outras coisas e estou-me a curar. Uma das terapias são estes blogs, outra é procurar o amor noutras paragens. Mas é bastante desagradável não existir um retorno da pessoa que amamos.
Por vezes uma palavra, faz-nos caminhar mais leves…
Parabéns pelo blog e um beijinho.

Su disse...

jose´....uma joca marada de carinha para ti