sexta-feira, maio 01, 2009

como um gato

Há dia, sabes, em que gostava de ser como o gato e que me tocasses sem desejar encontrar quaisquer sentimentos a não ser o que se exprime num espreguiçar muito lento - um vago agradecimento? - e que depois me deixasses deitado no sofá sem que nada pudesses levar da minha alma, pois nem saberias o que dela roubar.
em «Assinar a Pele» de Pedro Paixão (Escritor português, 1956- )

3 comentários:

Marta disse...

Ao tempo! Que nada lia dele!

«Viver todos os dias cansa». :)

Aqui, não!


beijo, linda

Su disse...

marta..é-------Paixão-----------. jocas maradas menina linda

Olharte disse...

bela imagem