terça-feira, junho 02, 2009

por tudo

Por tudo o que me deste / inquietação cuidado / um pouco de ternura / é certo mas tão pouca / Noites de insónia / Pelas ruas como louca / Obrigada, obrigada / Por aquela tão doce / e tão breve ilusão / Embora nunca mais / Depois de que a vi desfeita / Eu volte a ser quem fui / Sem ironia aceita / A minha gratidão / Que bem que me faz agora / o mal que me fizeste / Mais forte e mais serena / E livre e descuidada / Sem ironia amor obrigada / Obrigada por tudo o que me deste / Por aquela tão doce / e tão breve ilusão / Embora nunca mais / Depois de que a vi desfeita / Eu volte a ser quem fui / Sem ironia aceita / A minha gratidão
F Espanca

5 comentários:

Teresa Queiroz disse...

adorável ...

Susana Garcia disse...

bonito poema da Florbela Espanca,como são todos os dela.
jocas maradas também para ti

Fernanda disse...

Como tu descobres coisas tão lindas...
"por tudo"...sim.


Um Abraço sem mar....

Su disse...

teresa; susana; fer.........



jocas maradas..........sempre

Marta disse...

LINDO :) como tu!