sexta-feira, setembro 29, 2006



não separes as rochas, as ondas, o abismo...
do teu corpo










foto de ivan jorge

9 comentários:

wind disse...

Como separar se o abismo nos persegue sempre?
beijos

a rasar o ceu disse...

subscrevo o coment da Wind....





inteligente...doído? pefeito.


beijos. às duas. Rochas.

MNN disse...

...e deixa que o vento feito dor te grave espirais na alma.

Fernando Rozano disse...

Poema essencial, direto, linguagem perfeita, imagens reais. Belo. Beijo.

pb disse...

falta o vento para moldar as ondas ás rochas e otnar o abismo mais suave. beijokas

marakoka disse...

wind..o abismo existe em mim....beijos

a rasar o céu....dorido/sentido/vivido....beijo rasante

mnn.....na alma tenho tatuagens....

fernando rozano....que bom saber.te deste lado do mar:) gostei..bjo

ob...o vento...sempre...moldando...mais suave?! ..não sei.... jocas

Teresa David disse...

Também me parece que se nos mantivermos fundidos com a natureza a vida ser-nos-á mais agradável e bela.
Bjs
TD

José disse...

Este medicamento cada vez provoca mais efeito e depois com esta embalagem nova, nem se fala! Pena é eu esquecer-me de o tomar, FALTA DE TEMPO!
Um abismo que realmente me acompanha.
Beijos e bom fim de semana.

Anónimo disse...

A força da natureza à qual o ser humano não consegue fugir...

Beijos