domingo, setembro 24, 2006

Não entendo

by x maya

Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

Clarice Lispector

7 comentários:

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

às vezes mais vale não entender mesmo...

♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥▒♥
Deixo um beijo e desejo bom domingo

A. disse...

...maravilhosa escritora.







ás vezes quero tanto entender...que dói.


Beijinho de boas noites.

Bazuco disse...

"Não entender do modo como falo" não concordo mesmo!
Do resto Susana até posso concordar... só quem nunca esteve perto da loucura é que a pode saudar.

hfm disse...

Sempre Clarice!

Daniel Aladiah disse...

Querida Su (ou Clarice?)
Entender dá-nos a sensação de segurança de que precisamos, assim como a base para daí compreender mais coisas. Contudo, muitas vezes julgamos que entendemos e não entendemos nada... somos humanos.
Um beijo
Daniel

wind disse...

Genial este poema de Carice Lispector!
beijos

Su disse...

nadir; a; bazuco; hfm; daniel; wind....

genial..genial

jocas maradas per tutti