quarta-feira, abril 12, 2006

A hora do cansaço


A hora do cansaço
As coisas que amamos,
as pessoas que amamos
são eternas até certo ponto.
Duram o infinito variável
no limite de nosso poderde respirar a eternidade.
Pensá-las é pensar que não acabam nunca,
dar-lhes moldura de granito.
De outra matéria se tornam, absoluta,
numa outra (maior) realidade.
Começam a esmaecer quando nos cansamos,
e todos nós cansamos, por um outro itinerário,
de aspirar a resina do eterno.
Já não pretendemos que sejam imperecíveis.
Restituímos cada ser e coisa à condição precária,
rebaixamos o amor ao estado de utilidade.
Do sonho de eterno fica esse gosto ocre
na boca ou na mente, sei lá, talvez no ar.

Drummond de Andrade

15 comentários:

Rosario Andrade disse...

Boa noite, Su.
Drummond de Andrade!... sempre tão sábio! Lindo
Bjico

Armando S. Sousa disse...

É o tempo ideal para ficar cansado, é o tempo da Ressurreição, para quem tem Fé... uma grande Fé.
Um abraço.

luis manuel disse...

Esta hora do cansaço, que demora e teima em não aparecer...
É importante reconhecer este defeito humano, mesmo pelas palavras do poeta.
De tão gostosa e amável, a vida permite-nos aspirar a esse quase infinito, que se torna variável por si. Pela nossa condição de humanos.
Ainda que o desejo não seja o do eterno, enquanto terreno, que o amor nos prolongue até não podermos mais, o afastamento de tal cansaço.
E longe comk esse "Alprazolam"... :)
Abraços marados.

wind disse...

Drummond de Andrade sempre genial nas suasideias e muito cert:) Linda foto! beijos

HatA/mãe disse...

Susana a escolha deste texto, tem muito de profundo e pessoalmente a ver comigo.
Por isso só venho desejar.te uma boa Pascoa, e agradecer as tuas palavrinhas,
A ilustração esta muito linda.
Muitos beijos

badger disse...

Drummond de Andrade... sempre tão certo! Sempe o mesmo génio!!

às vezes nem o «ar» resta!! Mas esse tempo.... é «tramado»!!

Boa Páscoa!!

inBluesY disse...

pena que assim seja...

margusta disse...

Querida Su,
...hoje passo mesmo só para te desejar uma Páscoa muito Felizzzzzz!!!

Beijinhoooossssssssssss

Luna disse...

Julgo que não podemos deixar amornar uma relação, pois essa é a pior temperatura, nem quente nem frio
beijos

Carlos disse...

Bebo
o licor
na tua boca
Bebes
o licor
no meu umbigo


Mais que fantasia...
passamos horas
nessa brincadeira louca
Delírios do prazer
de estar contigo


Trilhas

de cerejas

em nossos corpos

Alimentos
degustados
pouco a pouco
Sinto
tua sede
e me alucino...


Somos cálice
iguarias
somos loucos
Bêbados
de paixão
e Maraschino...

Mocho Falante disse...

olá olá

Um beijoca de Feliz Páscoa

tu arranjas cada foto de se perder a cabeça

Su disse...

rosario... sempre belo:) bjo

ésse...um abraço com fé :)

luis manuel... a hora do cansaço é real; na vida existe o desejo do eterno... até à exaustão:) comigo o alprozam está spre perto:)) abraços marados de marar per te

wind.. tb o adoro ler, spre tão intenso, frio até... mas a vida tb o é:))) jinho

noitestrelada...contigo, comigo e com muita gente, eu sei, eu entendo, e desejo.te tb uma feliz páscoa..sempre...bjos

badger.. é isso mesmo, o tempo....o tempo...sempre o tempo..q.ue nos arrasta:) feliz páscoa

inbluesy ...a vida assim é curta, fria e seca, nós temos de a tornar mais quente....sempre....

margusta...boa pascoa e muitas felicidades para ti, para tudo o que fazes:)) jinho

luna... nada tem a ver com a relação...aqui a questão é o tempo e ..nós.... de qq modo uma relação não se mete no micro ondas;)))))) bjos


carlos...gosto do q escreves, mas repara, eu tenho dos blogs e leio.te como se fosse em camara lenta...mas gostei.bjo

mocho falante...eu perco a cabeça com fotos, jocas de feliz pascoa


jocas maradas per tutti

António disse...

A profundidade do pensamento do Carlos aqui muito bem patente nesta divagação sobre a proximidade do final.

Beijinhos

Silêncios disse...

Sim...qd o cansaço se abate sobre mim, é pelo ar que sinto vontade de me deixar ir..
Um beijo e boa Páscoa

jorgesteves disse...

Este é (mais) um dos eternos tocadores de palavras!...
Este poema lembra-me a voz da Bethânia '...infinito enquanto dure!).
jorgesteves