sábado, junho 28, 2008

Acordo de Noite

foto de Graça Loureiro
Acordo de noite subitamente,
E o meu relógio ocupa a noite toda.
Não sinto a Natureza lá fora.
O meu quarto é uma cousa escura com paredes vagamente brancas.
Lá fora há um sossego como se nada existisse.
Só o relógio prossegue o seu ruído.
E esta pequena cousa de engrenagens que está em cima da minha mesa
Abafa toda a existência da terra e do céu...
Quase que me perco a pensar o que isto significa,
Mas estaco, e sinto-me sorrir na noite com os cantos da boca,
Porque a única cousa que o meu relógio simboliza ou significa
Enchendo com a sua pequenez a noite enorme
É a curiosa sensação de encher a noite enorme
Com a sua pequenez
...
Alberto Caeiro

9 comentários:

Nuno disse...

O Blogg com as melhores fotos da Bloggosfera. Como já te disse uma vez, tenho pena de não ter capacidade para comentar os vários poemas que as acompanham.

Beijos

Su disse...

nuno..merci:)

mjf disse...

Olá!
Concordo com o nuno...imagens lindas, acompanhadas de lindas palavras ;=)

Beijocas
Bom domingo

Rita disse...

o heterónimo preferido
obg

abraço**

Anónimo disse...

... e a noite é tão longa
Saudações amigas
C valente

C Valente disse...

Gostei, e as fotos são um espectaculo,
Saudações amigas

ηatalie αfonseca disse...

Execelente escolha!!!!
Alberto.....Fernando Pessoa! ;)

~pi disse...

aparentemente real,

o

tempo...

ángel disse...

Ha sido un gusto descubir tu espacio y leer aquí, en tu idioma, este poema de Pessoa, es decir, de uno de sus otros Pessoas que siempre sorpenden.



Saludos...