domingo, março 08, 2009

quem

quem me quiser amar,que me leve
fechado no meu mistério...Me leve
Como um presente imerecido,
Vindo não sabe de onde
- sempre com medo que lhe fuja
da caixinha cor da bruma
em que se esconde.
Quem me quiser amar,
Me leve, sem importar
De perguntar o que eu valho.
- Já lhe basta essa alegriade saber que me possui,
de saber que eu valho mais
que quanto quiser pensar.
(Sebastião da Gama)

9 comentários:

quanto pesa o vento? disse...

delicioso reler, vezes sem conta, este poema.
abraços marados.

Vekiki disse...

Muito bonito :)

acutilante - frank verlag disse...

Há muito tempo que não (re)lia S. da G.
Soube bem. fez-me recordar outros tempos. Pois.

~pi disse...

lindo e para mim, novo! :)





~

Su disse...

quanto.....delicia.sim

vekiki....tb acho:)

acutilante...recordar.pois.

~pi....:)


jocas maradas..sempre

Marta disse...

eu subscrevo o comentário da pi.

exactamente :)

Xana disse...

O mistério é um bem apetecivel :)
desejo uma semana cheia de mistério e felicidade
beijos

ลndreia disse...

Quem me quiser amar... *

Pipoca disse...

Muito bom o poema, é mesmo isto o Amor