quarta-feira, julho 18, 2007

mentem

Mentem, sobretudo, impune/mente.
Não mentem tristes. Alegremente
mentem. Mentem tão nacional/mente
que acham que mentindo história afora
vão enganar a morte eterna/mente.

Mentem.Mentem e calam. Mas suas frases
falam. E desfilam de tal modo nuas
que mesmo um cego pode ver
a verdade em trapos pelas ruas.



A implosão da mentira
Affonso Romano de Sant'Anna

8 comentários:

Daniel Aladiah disse...

Querida Su
Belíssimo poema sobre a mentira, ou melhor, sobre as pessoas que mentem.
Um beijo
Daniel

Nero disse...

Restam sempre as pedras.
Volte sempre ao meu blogue.

Fábula disse...

adoro, adoro, adoro... e não estou a mentir! ;)

Ki disse...

Mentira - Mente + ira

A mentira é a ira da mente?

Oh God pró que me havia de dar hoje!

Besito maradito :-)

as velas ardem ate ao fim disse...

Quem mente, mente alegremente, indiferente ao sentimento de verdade dos outros.

bjinhos

wind disse...

Excelente e forte este poema!
Beijos

Su disse...

daniel; nero; fabula; ki; as velas..; wind..............


jocas maradas per tutti

Paula Raposo disse...

Fantástico este poema...beijos.