domingo, março 18, 2007

A procurar desejos que me assustam...

foto sweetcharade
Dentro de mim que não sou outro
Se alastram eus de opacas imagens
A conversar comigo
Estou a declamar vontades que já não me importam
Diante desses murmúrios
Tenho a sensação de confundir-me com tudo...

Alain Bisgodofu

19 comentários:

Daniel Aladiah disse...

Querida Su
Confusão ou diálogo que dentro de nós sempre ocorre...
Um beijo
Daniel

Irene disse...

o diálogo connosco próprios como se dois eus tivéssemos confunde-nos sem dúvida, por isso, não podemos perder de vista os outros.

martim de gouveia e sousa disse...

dentro de nós as vozes dizem-nos na diferença que em nós habita. assim o homem tensional. bjo.

Isabel-F. disse...

um belo pensamento ____ que diz muito sobre nós


boa semana
bjs

SentidoS disse...

Olá Su!
Há dias assim, dias em que as inquietações e interrogações, assolam a nossa alma e mente. Há dias asim...

Beijo Sentido

Fábula disse...

há sempre um murmúrio que fala mais alto do que os outros, o segredo é escutar com atenção, de certeza que assim não há confusões...

António Almeida disse...

Eu não sou eu nem sou o outro,
Sou qualquer coisa de intermédio:
Pilar da ponte de tédio
Que vai de mim para o Outro

(Mário de Sá-Carneiro)

Eduardo Abreu disse...

E quantos "Eus" existem em cada um de nós?

linfoma_a-escrota disse...

onde é que eu já tinha ouvido isto?????? hmmm....


WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

www.videodroma.blogspot.com

MARIA VALADAS disse...

Estou sempre em díalogo comigo própria...
Por vezes, é uma guerra cá dentro...que nem tento apaziguar...

Por vezes, fico confusa... mas que grande confusão...suportam os meus sentidos!!

Beijo da

Maria

as velas ardem ate ao fim disse...

Vim oferecer te um poma neste dia..
As pedras


As pedras falam? pois falam
mas não à nossa maneira,
que todas as coisas sabem
uma história que não calam.

Debaixo dos nossos pés
ou dentro da nossa mão
o que pensarão de nós?
O que de nós pensarão?

As pedras cantam nos lagos
choram no meio da rua
tremem de frio e de medo
quando a noite é fria e escura.

Riem nos muros ao sol,
no fundo do mar se esquecem.
Umas partem como aves
e nem mais tarde regressam.

Brilham quando a chuva cai.
Vestem-se de musgo verde
em casa velha ou em fonte
que saiba matar a sede.

Foi de duas pedras duras
que a faísca rebentou:
uma germinou em flor
e a outra nos céus voou.

As pedras falam? pois falam.
Só as entende quem quer,
que todas as coisas têm
um coisa para dizer.

(Maria Alberta Menéres)

bjinhos

Cristina disse...

Olá Su,

Uma boa primavera para ti
:)
beijinhu

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Espero que me desculpe forma como faço os meus comentários, mas é pura e verdadeira...
Para mim não chega, dizer está bonito ou lindo – por isso gosto de deixar pensamentos frases de outros autores como presente da minha gratidão e do meu encanto do que leio, do que observo nas imagens e na escrita.
É a minha maneira de ser...
A critica faço-as, da forma como somos tratados pelo Estado que ignora os problemas da nossa sociedade e como pouco ligam aos grandes talentos que encontro nos blogs.
Peço desculpa e se alguém não gostar da forma como faço os meus comentários agradecia que me dissessem pois tentarei melhorar.
Sou apenas uma amadora de escrita que escreve pela beleza de sentir na escrita as palavras que me vão na alma e penso que é essa a beleza que encontro naquilo que leio cada um escreve com a sua beleza.
Não quero com isto desrespeitar ninguém até porque as palavras lindas, bonito têm um grande significado no meu vocabulário.
Boa semana
Desculpem-me a repetição do post, mas julgo que nem todos entenderam...

Esta é a frase que vos deixo: se pudesses estar perto de mim talvez encontrasses a resposta porque te olho, porque choro sem te conhecer. Se um dia te encontrar entregarei o meu sorriso, é nele que escondo tudo aquilo que sinto só para te ver feliz.

Beijinhos
Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

as velas ardem ate ao fim disse...

bjinho e bfs

APC disse...

Porque se nos confundem os eus que geramos e que geram outros eus dentro de nós. Porque é mesmo assim, pois só de um grande caos interior nascem estrelas que dançam (Nietzsche). O inverso disso é sentir-se que se sabe quem se é, e viver dessa mentira confortável, até ao fim, que chega cedo. Viver é andar perdido em busca de caminhos para andar.

:-)
Um abraço, Su!

PensarCusta disse...

nao sou grande fã da sua poesia.. mas por algum estranho motivo visito regularmente o seu blog. gostei deste.

rouxinol de Bernardim disse...

Vale a pena vir aqui! aprende-se... até com quem comenta!

Este blog é fixe!

O meu "eu" fica subjugado ao vigor de tantos e tão nobres "eus"...

Que sublime, Deus meu!

Su disse...

daniel....ocorre sempre...sempre...

irene.....pois...acredito que não nos devemos perder de vista---a nós proprios.....

martim.....e a tensão deste lado é imensa.......

isabel-f...tb acho. bom fds

sentidos....há dias assim....há muitos dias assim.....pssttt gosto de ler.te

fabula...e quando o ruído é enorme?

antonio almeida.....gosto das tuas escolhas e com sentido de oportunidade.

eduardo....em mim.....resmas....:)

linfoma....hummmmmm:)

maria valadas...como te entendo bem

as velas ardem até ao fim.....amei o que li.....merci

cris...o melhor para ti...sempre...

conceição....gostei de ler.te ..amadora e amada.....essa reflexão ficou....aqui...

apc...gostei...a vida é mesmo isso..... mas viver é optar por um desses caminhos......isso implica riscos.......o eterno caminhar

pensar custa....merci....


rouxinol.....um prazer para mim ter.te deste lado....

jocas maradas per tutti

Fábula disse...

Su, quando o ruído é enorme tens de o ignorar, fingir que não há ruído algum... aí o ruído cansa-se, desaparece, e tu ouves o resto! ;)