sexta-feira, maio 05, 2006

espera

aqui onde o exílio
doí como agulhas fundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas

até que uma pedra irrompa
e floresça.
até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça.



eugénio de andrade. as mãos e os frutos .1948




foto de carlos marques

12 comentários:

as velas ardem ate ao fim disse...

Não queiras que o silencio desapareça.Há que aprender a estar em silencio para depois apreciarmos o barulho.
a frase e linda apesar de tudo
1 grande bjo para ti

wind disse...

Belo! beijos

de mim para disse...

adorei!

simples, mas dito de coração!

beijocas

Luna disse...

O silencio é importante para nos reencontramos

hl disse...

Lindo demais, é um poeta que eu gosto imenso, a espera incondicional num amor incondicional:)
Beijinhos

amigona disse...

Lindo, como sempre! beijo...

Armando S. Sousa disse...

Dizem por aí, que quem espera, desespera.

Um abraço e bom fim de semana.

dulce disse...

Esperar tb é preciso! Há q lhe adicionar a esperança.
Beijos doces

margusta disse...

Que ESPERA...Lindo!!!
A foto tb é magnifica.
Beijinhos.

Berenice disse...

Maravilhosa esta espera incondicional! Identifico-me tremendamente.
Também adoro Eugénio de Andrade.
Muito belo este post, tal como todos os outros!
Uma boa noite!

FZ disse...

Linda fotografia e logo de uma planta de que gosto tanto (e típica da Madeira, ainda por cima).

Obrigado!

"Saber esperar é uma virtude"... ;>)

Beijoka

Su disse...

as velas ardem até ao fim; wind; anónima; luna; hl; amigona; ésse; dulce; margusta; berenice; fz....


jocas maradas per tutti