quarta-feira, outubro 01, 2008

quem


foto de Tuta

É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer.
Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo.
Clarice Lispector

9 comentários:

Dois Rios disse...

A Clarice está dentro de cada uma de nós. É visceral, pulsante, passional, eloquente, e as vezes obscura.

Beijo, Su
Inês

acutilante - frank verlag disse...

Saber quem somos por vezes doi...
e provoca crises existencialistas!

Su disse...

dois rios...........é tudo isso....

acutilante..........doi...........
crises? tenho,as comigo...pois..


jocas maradas..sempre

umquarentao disse...

Apelo em divulgação na internet:
- ÚTEROS ARTIFICIAIS: Uma Investigação Cientifica Prioritária!


Nas Sociedades Tradicionalmente Poligâmicas apenas os machos mais fortes é que possuem filhos.
No entanto, para conseguirem sobreviver, muitas sociedades tiveram necessidade de mobilizar/motivar os machos mais fracos no sentido de eles se interessarem/lutarem pela preservação da sua Identidade.
De facto, analisando o Tabú-Sexo (nas Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas) chegamos à conclusão de que o verdadeiro objectivo do Tabú-Sexo era proceder à integração social dos machos sexualmente mais fracos; Ver http://tabusexo.blogspot.com/.

Com o fim do Tabú-Sexo a percentagem de machos sem filhos aumentou imenso…
As Sociedades Tradicionalmente Monogâmicas têm de Assumir a sua História!!!
Isto é, estas sociedades não podem continuar a tratar os machos sexualmente mais fracos como sendo o caixote do lixo da sociedade!!!
Isto é, os machos ( dotados de Boa Saúde ) rejeitados pelas fêmeas devem possuir o legítimo Direito de ter acesso a ÚTEROS ARTIFICIAS.


PS
Alarmado com o número muito elevado de solitários, o governo Sérvio quer "importar" 250 mil noivas para solitários...
Um contra-senso óbvio: de quem critica a repressão dos direitos das mulheres, e em simultâneo, procura resolver os seus problemas demográficos recorrendo a povos aonde a repressão dos direitos das mulheres proporcionou uma boa produção demográfica!!!

mitro disse...

E que importa quem somos? No devir do tempo somos como uma bruma breve...

bono_poetry disse...

gostei do teu xanax...vou espreitar os outros...

mfc disse...

Quando falamos com verdade desnudamo-nos demais.

Fernando Rozano disse...

Clarice...sempre precisa, instigante, sol e sombra, poros...e uma fotografia magnífica. post extraordinário. meu abraço.

~pi disse...

puzzle-zebrado :)




beijo



~