domingo, julho 27, 2008

cantigo negro

foto de Ingrid

"Vem por aqui" --- dizem-me alguns com olhos doces,
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom se eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui"!
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos meus olhos, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...

Jose Regio

12 comentários:

ivone disse...

esse poema persegue__me...


como mas como me revejo nele

Arion disse...

Tantas vezes repito esse poema do Régio a mim próprio... Beijo!

Dois Rios disse...

desvios, atalhos, caminhos longos a percorrer... vou por onde o amor me leva... se é por aqui ou por ali, não faz diferença, ele sempre me conduz.

beijo,

p.s. amo essa poesia do regio.

Vekiki disse...

Cheguei hoje aqui e gostei do que vi/li!
Li o folheto no interior da embalagem e optei por tomar um logo de manhã. Estava mesmo a precisar.
Quanto a este poema de José Régio, já o soube de cor, depois de o ouvir dezenas, centenas de vezes dito pela voz maravilhosa da Bethânia!
Obrigada :-). Vou voltar, sempre!

acutilante - frank verlag disse...

Será consequência do "efeito" do Alprazolam a razão da escolha de um dos mais belos poemas escritos em português?

O Profeta disse...

O vale acorda no encontro ao mar
Engalanado por pingos do céu
A terra exulta em alegria
Tal como noiva debaixo do véu

Vem voar comigo no vale dos milhafres


Boa semana


Doce beijo

sagher disse...

vele a pena sermos nós

Su disse...

ivone.....-me------

arion....e repete...repete....

dois rios.....a mim, me seduz:)

vekiki....merci, volta sempre...

acutilante.....que mau pensar em rel a minha pessoa.....:)

profeta.....vem voar....

sagher....sempre.....ser..


jocas maradas.....sempre

Parapeito disse...

...Teimosa !!!

:)
***

Raquel Vasconcelos disse...

Um dia enviaram-me este poema... nunca o esqueci...

"
"Vem por aqui"
(Há, nos meus olhos, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...
"

Quantas vezes não vou por ali...



PS: Obrigada pelos parabéns...

Rosa dos Ventos disse...

Mas acabamos por ir, às vezes...

Abraço

Rocket disse...

ei! então? o meu poema cortado?... huuumm