sábado, maio 03, 2008

sou


foto de Alicia Ayala

Sou um homem, sou um bicho, sou uma mulher
Sou as mesas e as cadeiras desse cabaré
Sou o seu amor profundo, sou o seu lugar no mundo
Sou a febre que lhe queima mas você não deixa
Sou a sua voz que grita mas você não aceita
O ouvido que lhe escuta quando as vozes se ocultam
Nos bares, nas camas, nos lares, na lama
Sou o novo, sou o antigo, sou o que não tem tempo
O que sempre esteve vivo, mas nem sempre atento
O que nunca lhe fez falta, o que lhe atormenta e mata
Sou o certo, sou o errado, sou o que divide
O que não tem duas partes, na verdade existe
Oferece a outra face, mas não esquece o que lhe fazem
Ney Matogrosso

7 comentários:

Vanda disse...

Inesquecivel, Ney Matogrosso.


Vi-o duas vezes, no Coliseu.


Encheu o palco e a alma de quem o sentiu.


Bom lê-lo, aqui.

BOM DIA!! :)madrugadora, beijo-te.

Su disse...

van.....sempre presente.............como bem o dizes , enche a alma....jinhos em ti

mAmAdA_mAn disse...

WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

Anónimo disse...

Olá, passei aqui por acaso. Parabéns pelo espaço. Espero que me visites em:

http://oslivrosqueninguemquisdaraler.wordpress.com

Http://tachospanelasecolheresdepau.wordpress.com

Um abraço,

Sónia Pessoa

Su disse...

mamada man.............voltarei ao blog.........mas depende do meu estado de espirito

sonia....vou conhcer teus espaços


jocas maradas.........sempre

C Valente disse...

Saudações amigas e bom domingo

afonso disse...

"Mal Necessário"... uma das coisas mais belas já gravadas por Ney Matogrosso. E é a segunda canção do roteiro de "Inclassificáveis", seu mais recente trabalho. Assisti aqui em São Paulo, e é um dos espetáculos mais deslumbrantes que já vi, um show p/ os olhos e um presente p/ os ouvidos. Ney continua em grande forma, tanto vocal como física. Certamente vai chegar em Portugal.
Um abraço.